Da rede discada à hiperconexão

Conectar pessoas de norte a sul do globo terrestre em questão de segundos. Essa é, sem dúvida, uma das mais promissoras evoluções da tecnologia.  No Dia Mundial da Internet, comemorado em 17 de maio, nos debruçamos a refletir: como chegamos até aqui? Alguém se lembra de como era o mundo antes da internet?

Historicamente, a data foi instituída pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) como o Dia Mundial das Telecomunicações, iniciativa motivada pelo uso e expansão do telégrafo pelo mundo. Em seguida, a data passou a ser acompanhada pelo Dia Mundial da Sociedade da Informação, que dava ênfase ao impacto das tecnologias na sociedade. Em 2005, a Organização das Nações Unidas (ONU) uniu as celebrações no denominado Dia Mundial da Internet, representando o avanço dos conceitos e da utilização dos sistemas no cotidiano.

O objetivo inicial da internet era unir redes de computadores entre laboratórios, para fins científicos e governamentais. Acontecimentos históricos como a Guerra Fria despertaram o alerta para o que hoje conhecemos como “proteção de dados”. A corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética impulsionou também a capacidade do homem em aprimorar invenções tecnológicas para a época, dando início à origem da internet atual.

O boom dos anos 1990 trouxe para dentro das escolas e residências o acesso à rede de maneira mais democrática. Uma geração inteira acompanhou passo a passo a evolução de cada momento histórico. Conceitos como “quarto/cômodo do computador” e o estabelecimento de regras e horários para ligar o computador em casa foram velhos conhecidos de quem nasceu no final do século XX.

A internet discada, que se popularizou até meados dos anos 2000, precisava de uma linha telefônica e muita paciência. Tirar o telefone fixo do gancho (outra tecnologia companheira dos millenials) interferia diretamente na conexão. As trocas de emails com correntes intermináveis e os primeiros navegadores, como Netscape, abriram um portal para a maneira como nos educamos digitalmente.

O uso da internet mudou a forma como nos comunicamos, mudou as relações de trabalho e alterou até a nossa percepção de tempo. Aprendemos a fazer muitas tarefas simultaneamente e desaprendemos a tolerar aquilo que não acontece na velocidade da informação. Para as gerações mais jovens, a pesquisa por qualquer palavra no Google ou a procura por um endereço ao alcance de um clique dispensam os meios físicos como folhear um dicionário ou estudar um mapa. O engajamento das redes sociais trazido pela internet é outro ponto de convergência do atual momento. O poder de mobilização, de influência e de resultados práticos que se originam nas redes é exemplo do quanto revolucionamos junto com a tecnologia. Seguimos em constante transformação e certamente o que achamos tecnológico demais atualmente será obsoleto cada vez mais rápido daqui pra frente.

Rolar para cima